chacalog


 

  a utopia hoje na porta do BAUEN HOTEL, em Buenos Aires 

 

SALIDA AL MAR :

A PALAVRA AINDA TÍMIDA

 

 Foi muito bom conhecer Buenos Aires. Mesmo que de passagem. Ver que ainda existe vida norturna  inteligente no planeta. E que existem livros, livrarias e pessoas interessadas em literatura. Não é uma cidade para se criar crianças. A Buenos Aires que conheci – Avenida Corrientes basicamente – é uma cidade adulta, de compras, de teatros de revistas, de cafés e cigarros. Nunca vi uma cidade tão café e cigarros. E política. Parece que todos exercem atentamente seus direitos de cidadão. E pressionam como podem. Essa é uma vantagem de uma capital num grande centro cultural. O presidente e seu palácio estão ali na esquina. E haja panelaço, apitaço. Todo dia. E a polícia em cima para evitar adesões imprevisíveis.

Em Buenos Aires se respira tradição e modernidade. Se respira as antiguidades da Feira de Santelmo às dezenas de parlatórios / internets da Corrientes. E a beleza das torres do centro próximo ao Retiro, aos armazéns recontruídos de Puerto Madeiro.  Não deu tempo de entrar e conhecer muitos desses lugares. Ficará para a próxima, quando espero estar falando melhor a língua de Borges.

 

Sobre o SALIDA AL MAR, é um bom festival. Faltou talvez a boa e velha mistura. Colocar outras formas de oralidade. Abrir um pouco. A poesia cantada, contadores de história, mais performances. O SALIDA é um festival para literatos. As pessoas vão para ouvir jovens poetas e escritores latinos, lerem seus textos. A recepção se dá apenas pelo ouvido. E muitas vezes esbarra na imprecisa apresentação dos textos. Eu, como não sei o castelhano, pude reparar nas diversas formas de leitura. As que o autor, mesmo que breve, olha para a platéia durante a leitura. Os que bufam antes de ler, como a costa riquenha Maria Monteiro. Os bilíngües como Ricardo Domenech, de São Paulo. E os trogloditas monoglotas como eu, que mal falo o português. Houve uma performance meio mais ou menos. De poesia e dança que não entendi direito. Houve também algumas charlas – palestras – e vídeo poemas bem interessantes, principalmente o vídeo “cozinhando livros”de jovens alemães cozinhando livros com salsichas e muito tempero.

Gostei do Goethe Institute com um espaço pequeno mas muito acolhedor. A crítica que faço ao festival é que a palavra ainda está refém da escrita, ela não saiu do papel. Ela poderia envolver mais as pessoas. Enfim numa cidade tão repleta de livrarias, onde o corpo ainda é um pouco encolhido – como em São Paulo – a "cosa mentale" ainda predomina.

 

Agora é a vez da BENDITA PALAVRA MALDITA: palavra falada, performance, música. O corpo ouvindo com o pé, marcando o compasso da frase com os quadris. Ritmo, meus amigos, ritmos. Sangue, minhas hermanas, sangue que corre nas veias das palavras

 



Escrito por chacal às 05h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


 

 

 eu no palco do salida al mar / eu e o diretor do goethe de buenos aires, mr. hartmut

 acabo de me apresentar no salida al mar, festival de poesia de buenos aires, idéia do cristian de napoli, do timo berger e da maria medrano. a embaixada do brasil fez a cortesia das passagens, hotel e refeições. gracias a todos. falei em pé sobre o tablado. os outros poetas e escritores sentados à mesa. lendo. o corpo meio envergonhado, refem da palavra escrita. mas bons leitores e poetas bem extraordinários. voltarei.

 

 eu e o cristian de napoli, um dos organizadores do salida al mar e um kiosco portenho.

 buenos aires é o máximo. que noite feérica ! livrarias e cafes pela corrientes, uma paulista turbinada de teatros e parlatórios e internets.bebi muito vinho ontem com o eduardo rodrigues e o ademir assunção. estou cansado. vou dormir. amanhã à tarde, volto ao rio.  amanhã de manhã: feira de santelmo. até já, bia bia biá.



Escrito por chacal às 01h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Sudeste, RIO DE JANEIRO, GAVEA, Homem, de 56 a 65 anos, Portuguese, English, Livros, Música
Outro -



Meu humor



Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 cooperifa / sergio vaz
 bendita palavra maldita
 cep 20.000
 ubuweb
 mario bortolotto
 fernanda d'umbra
 cemitério de automóveis
 ademir assunção
 radiocaos
 cronópios
 daniel soares / dudu pereira
 ivana arruda leite
 márcio américo
 thadeu wojciechowski
 cão danado - cássio amaral
 sensívelldesafio
 cléo de paris
 lorena poema
 marcelo sahea
 simone kaplan
 cecília-borges
 sobrecasaca
 numa noite qualquer
 raul mourão
 orfanato portátil - marcelo montenegro
 paulo scott
 a dobradura / alice sant'anna
 pat lopes
 carol luiza
 BAILINHO
 paulo pessoa
 inverno de julho
 eu e minha bicicleta
 jaguadarte
 as escolhas afectivas
 pseudopop / ledusha
 ERRATICA
 leminiskata / solda
 big city small town / edkuma
 dado / febril
 danislau também
 marcelo noah
 girassóis e vinho tinto
 ENTRE SÉRGIO PORTO
 cidadão do mundo / são caetano